OPERAÇÃO ANTARTICA - 1995

Data: 30 Mar 2004
Ola meu caro Ronaldo.
Atendendo sua solicitação segue o projeto "Operação Antartica" realizado no
final de 1995. Grato!
William George Schauff
-----------------------------------------------------------------------------
OPERAÇÃO ANTÁRTICA

A instalação de uma estação radioamadora completa para uso dos satélites digitais na Estação Comandante Ferraz na Antartica (Ilha Rei George , South Shetland) foi uma das mais incríveis aventuras que pude vivenciar.
Dificilmente poderia imaginar que o radio-amadorismo moderno, com suas técnicas digitais avançadas pudesse servir tanto aos integrantes de uma remota base Antártica.
Assim sendo gostaria de repartir um pouco da experiência vivida para que todos possam saber como nos dias atuais o Radio-amadorismo ainda pode prestar enormes serviços à comunidade.

O Problema

Estávamos no início de 1995, quando recebi um telefonema do Dr. Alberto Setzer (PY2ASK) do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais )de São José dos Campos indicado pelo PY2BJO ( Júnior Torres de Castro).
O problema apresentado pelo Alberto era realmente sério, ou seja, os integrantes da estação Antartica (pesquisadores e pessoal de suporte) não possuíam um meio de permitir a troca de mensagens utilizando a rede Internet ( E-MAIL ). Estavam isolados. A comunicação restringia-se a um telefone via IMARSAT a um altíssimo custo por minuto, ou às difíceis horas de propagação favorável em HF.
Resumindo, não havia comunicação confiável e barata para que todos pudessem usar e manter os necessários vínculos com sua terra natal, seus familiares e sua equipe de apoio. A questão que o Alberto colocava a seguir era simples. Saber se de alguma forma, através dos satélites radio-amadorísticos poderíamos estabelecer uma sólida via de comunicação que permitisse a todos da base enviar e receber mensagens pela INTERNET.
Nesta ocasião a BBS de packet (PY2GN) já estava com 5 anos de operação continua e seu Gateway de Satélite automático operando há 3 anos, permitindo assim , o "forward"de mensagens pessoais do Brasil para o exterior e vice-versa, usando os satélites digitais da série PACSAT (UO-22,KO-23,KO-25). A APPR (Associação Paulista de Packet Radio) já havia tambem instalado na FAPESP o poderoso link com a INTERNET que permitia pleno acesso a todos os radioamadores usuários do packet.

A Solução

Especialistas do INPE e da Marinha fizeram então, algumas visitas técnicas ao Gateway de Satélite em São Paulo, para verificarem a eficiência e o funcionamento. Nessa ocasião, apresentei , uma solução inédita que poderia resolver o problema. Adicionar na base brasileira que já possuía uma estação radioamadora de HF (ZX0ECF) , uma estação completa para rastrear e se comunicar bi-direcionalmente com os PACSAT's .
As mensagens geradas em Ferraz pelos usuários seriam colocadas no Satélite OSCAR 23 através da estação ZX0ECF, sob responsabilidade de seu operador (PY2ASK), e em São Paulo as mesmas seriam retiradas do satélite por PY2GN e colocadas na INTERNET. O caminho de volta seria exatamente o contrário, ou seja, as mensagens destinadas para EACF seriam colocadas em uma conta especial a ser criada na FAPESP, e uma vez retiradas por py2gn via rádio ou fone seriam agrupadas e colocadas no satélite para ZX0ECF capturá-las e distrubuí-las entre os integrantes da base.

Os Preparativos

Bem.... assim começou o projeto. Após inúmeras reuniões, estabelecemos as necessidades e sua necessária logística. Em 18 de maio de 1995 o Alberto submeteu ao PROANTAR todo o planejamento do sistema , seu funcionamento , instalação na Antártica e o devido custo do projeto.
Nessa época é que fui consultado da possibilidade de poder montar o sistema durante a primeira fase do "Verão Antártico" (dezembro 95). Não titubeei em aceitar, pois sabia já que a ida à Antartica além de ser, uma tremenda aventura seria um prêmio ao desejo de maior conhecimento .
O tempo foi passando. Os equipamentos foram adquiridos e graças ao esforço da Marinha do INPE e sobretudo do Fernando PY3ZFZ, representante YAESU em Porto Alegre todo o material foi preparado a tempo.Antenas direcionais com polarização circular de VHF e UHF com alto ganho, Tranceptor FT736R, placa controladora de rádio (CAT) e rotor Kansas City Tracker, amplificadores , tnc's, suportes , cabos, e muitas outras miudezas.
A dúvida sobre o bom funcionamento em climas extremos das antenas e rotores preocupava-nos sobremaneira. Será que os freqüentes ventos antárticos de até 200km/hora , não arrastaria e quebrariam as antenas? Seria possível evitar o congelamento da graxa dos rotores? Os cabos não quebrariam com o frio e torção? Nossas dúvidas eram muitas!
No dia 10 de novembro recebi do Capitão de Fragata Hertz Aquino de Queiroz um fax com toda a programação da viagem, e um detalhado manual do participante de operações antárticas com preciosas informações. A ida era inevitável, e assim sendo comecei a me preparar, e configurar o Gateway de Satélite em São Paulo para receber dados de mais um preciosa estação radioamadora, ZX0ECF.
O dia da partida seria 4 de dezembro e a concentração no Terminal de Passageiros do Correio Aéreo Nacional (Rio de Janeiro), o retorno estava determinado ser no dia 26 , portanto 22 dias de viagem. O Alberto veterano de 11 viagens antárticas, já havia partido em um vôo anterior e já se encontrava na base, aguardando minha chegada e dos equipamentos.
Poucos dias antes do vôo, uma notícia preocupante, o navio polar Ari Rongel que me traria de volta da base para PuntaArenas (Chile) no dia 26 teria que antecipar sua saída da base para o dia 10 de dezembro, devido a pane no gerador principal , portanto com a chegada prevista na base para dia 7, sobrariam tão somente 4 dias para instalar, configurar e testar o sistema ....um desafio!
Em São Paulo, ficava como co-sysop do Gateway o PY2SM , Lopes que instalou em sua residencia nodes em HF(20m) e UHF para que eu pudesse da Antartica acessar a Internet em tempo real , para eventuais necessidades. O Nerley PY2NP não deixaria de estar no QAP de HF para a comunicação com a base e com o navio. O Delzio , PY2DML manteria as BBS devidamente abastecidas de "forward". O PY2AMX, Rogério como sysop do Gateway Internet estava a postos para o sistema não parar.
O Fred PY2XB e o Ricardo PY2RO estariam prontos para fazer o "broadcast"dos contatos em HF através do DX Cluster. Rene PU5BGE, com seu Gateway de satélite em Blumenau , Rodrigo N1PXB em Belo Horizonte , Roberto PY3PQ, Ricardo PU3VHQ , Cunha PY6ASV, estavam preparados e prontos para os primeiros testes via satélite .

A Viagem

Finalmente partimos! O Hércules C130 da força Aérea Brasileira decolou no horário preciso , com pesquisadores, todo o pessoal de apoio, material e para surpresa geral ,mais alguns intrusos do programa "Casseta e Planeta". Três dias depois, com escalas em Pelotas para recebermos vestimentas especiais e Punta Arenas, chegamos à base antártica chilena Pres. Eduardo Frei. Lá a aeronave foi completamente descarregada e teve o início o translado de todos e tudo para o navio Ari Rongel através de dois helicópteros baseados no próprio navio, uma operação que demorou quase seis horas. Um dia depois de viagem de navio, desviando o tempo todo de imensos "Icebergs", chegamos à Ilha Rei George , novamente os helicópteros foram ativados para transportar todos para a Estação Antartica Comandante Ferraz.

Na Base

Uma comitiva nos esperava, com café , sopa quentinha , e muito calor humano para compensar o frio de -10 graus do verão antártico. Mal chegamos, eu e o Alberto iniciamos a dura tarefa de localizar as caixas contendo os nossos equipamentos, isto feito, mãos à obra!!
O trabalho teve início com a montagem das antenas cruzadas de polarização circular M2, de fabricação americana , com todos os seus acessórios em aço inoxidável, cabos de interligação com vedação nos conectores . Como é difícil trabalhar no frio! Se colocamos as luvas não conseguimos manusear as peças pequenas, se as tiramos, as peças grudam nas mãos com o congelamento. Todo o trabalho mecanico resultava em muito mais esforço devido ao frio e as roupas especiais.
Concluída a montagem das antenas, partimos para construção do mastro de sustentação das antenas e rotores, fixando provisoriamente através de solda na lateral de um dos "containers dormitório". Enquanto eu instalava as antenas na parte superior dos containers o Alberto e o Nelson (pesquisador do INPE), trabalhavam na infra estrutura do "schack", também montado em um dos "containers" , criando o necessário espaço , e montando prateleiras .
Nada como o verão antártico para tornar nossas noites em dia. Não havia um momento sequer sem a luz solar, o dia permanecia claro nas 24horas! Como foi importante, esse fato! A corrida contra o tempo transformava, praticamente cada dia em dois, pois trabalhávamos das 9 da manhã até altas horas da próxima madrugada.
Terminada a parte externa de antenas , suporte e rotores passamos a trabalhar no interior da estação onde a calefação nos trazia aos 25 graus de temperatura. Passamos a instalar os conectores tipo "N" nos cabos coaxiais de baixa perda, modificar o tranceptor full duplex FT736R para poder trabalhar em packet radio a 9600 bauds, instalar no microcomputador DX4-100 a placa da Kansas City Tracker para corrigir o efeito Doppler alterando a freqüência de transmissão e recepção do radio a cada segundo da passagem do satélite além de controlar os rotores de azimute e elevação para um rastreamento preciso e perfeito. O TNC utilizado foi o da PacCom modelo Spirit 2 (9600 bauds) .
Cabos de interligação prontos e testados, iniciamos a carga e configuração do poderoso software "WISP" que rodando sob Windows 95 tem o objetivo de : fazer a previsão das passagens, ativar a placa KCT para controle de rotores e freqüências do radio, carregar os programas de comunicação e seus parâmetros com o satélite, editar mensagens à serem transmitidas, visualizar arquivos e diretórios recebidos e muito mais.

Iniciando o Rastreamento

Tudo pronto ! Ao ligar , o programa entra e minutos depois o PC trava.... !!XZ#$@...até descobrir que o protetor de tela estava atrapalhando, passaram-se umas boas horas.... depois.....BINGO! O programa entra perfeito e na hora de controlar a freqüência de subida em VHF no radio .... mais uma vez ..!!#$@^&^%!! .... o radio nada... tão somente o canal de descida UHF obedece aos comandos automáticos de setagem de freqüência e modo de operação.....horas de desespero...... já é dia 10 de dezembro e o comandante do navio pede avisar que tem que zarpar , peço uma prorrogação de prazo de algumas horas para resolver o problema , que me é concedida . UFA!! Finalmente descubro o que não consta em nenhum dos manuais, e coloco o sistema em operação!

A Primeira Mensagem

A primeira passagem do satélite se aproxima. Acertamos com cuidado o horário GMT do PC e cruzamos os dedos. Com precisão de segundos o WISP comanda a mudança de QRG da recepção e transmissão do radio, muda as antenas de posição, e carrega o programa de comunicação para o satélite, e em seguida os "headers"do protocolo de comunicação enchem a tela. Segundos depois um aviso em alto e bom som, com os recursos da multimídia anunciam "CHEGOU UMA MENSAGEM" , nada mais nada menos que a primeira de todas uma mensagem escrita em São Paulo pelo meu filho de 7 anos (Christopher) com o título "Saldade Papai" .. chorei de emoção.... Imediatamente as mensagens que havíamos preparado para serem colocadas no satélite são automaticamente despachadas, e todas as estações usuárias do satélite são informadas da ativação da estação ZX0ECF, a base Brasileira não está mais isolada!.
O sistema passa a funcionar sem interrupções, uma órbita atras da outra , e a viola vai sendo afinada....em seguida os procedimentos de colocação das mensagens, o endereçamento internet, e detalhes de funcionamento do sistema são discutidos e anotados tudo muito rápido pois o navio fundeado na baía começa a apitar.. tempo esgotado....

A Volta

Mal tive tempo de me despedir de todos , dar um abraço no Alberto , tirar a roupa ainda molhada da máquina de secar e subi na "Skua" , o barco que me levou ao navio.
Foram cinco tortuosos dias para chegarmos a Punta Arenas... a travesia do Drake fazia o navio de marionete... com o balanço em todas as direções, as escotilhas transformavam-se em aquários, a proa do navio desaparecia completamente embaixo de gigantescos vagalhões, ventos de até 200 km/h , fazer refeicões era quase impossível , pois a mesa se transformava em tobogã multi-direcional.Resultado , mais 15 marinheiros enjoados e doentes, inclusive eu por dois dias.
Médico, capelão, dentista todos doentes. A dois dias de Punta Arenas, já no Estreito de Magalhães tudo melhora . Chegando na mais austral das cidades, tomo finalmente com um avião comercial para São Paulo, onde o restante do trabalho me esperava.

Conclusão

De volta a São Paulo , e após contatos com o Sr. Demi Getschko da Fapesp foi criada uma conta especial eacf@eu.ansp.br cujo e-mail todo é espelhado via satélite para Ferraz, através do Gateway de satélite local. O envio de mensagens da Antartica seguem o caminho reverso, pois são retiradas do satélite pelo Gateway local e colocadas na INTERNET usando o recurso de nosso servidor INTERNET via rádio (SPAULO) instalado na própria Fapesp.
No dia 21 de dezembro foi oficialmente inaugurado o sistema , e desde essa data, milhares de mensagens trafegam no vai e vem via satélite , retirando finalmente as últimas barreiras que impediam nossos pesquisadores e valorosos homens da Marinha de se comunicarem com o mundo, seus familiares e amigos .
O projeto todo, só foi viável com a utilização dos meios radio-amadoristicos, que mesmo no mundo moderno, com toda a infra estrutura de comunicações , ainda mostram ser de grande valia para integrar pessoas, mesmo nos confins da Terra.
William George Schauff
py2gn@appr.org.br

Fotos.